‘Adoráveis mulheres’

Em 2007, Saoirse Ronan surpreendeu o mundo não pelo nome quase impronunciável, mas pela atuação assombrosa em ‘Desejo e reparação’, de Joe Wright. Ela interpretou Briony Tallis, uma jovem de 13 anos cuja mentira mudou o destino da irmã (Keira Knightley) e do affair dela (James McAvoy). A personagem – adaptada do romance de Ian McEwan – traz uma complexidade raramente atingida por atores mais experientes. Mas a jovem não só deu conta da tarefa como ainda conquistou uma indicação ao Oscar de melhor atriz coadjuvante. Tudo isso aos 13 anos.

Desde então, Saoirse vem enfileirando trabalhos memoráveis, a ponto de já ser considerada a Meryl Streep da nova geração. O mais recente deles, pelo qual também foi indicada ao Oscar, agora como protagonista, é ‘Adoráveis mulheres’. No longa-metragem, ela volta a trabalhar com Greta Gerwig, com quem fez ‘Lady Bird: a hora de voar’ (2017). Na nova produção, ela vive Jo March, uma jovem mulher que ousa desafiar o sistema patriarcal na segunda metade do século XIX, refuta o casamento como único destino possível e luta pela própria independência financeira.

A trama é baseada no clássico norte-americano ‘Mulherzinhas’, livro de inspirações autobiográficas escrito por Louisa May Alcott, que mostra a passagem da adolescência à vida adulta de quatro irmãs em meio à Guerra de Secessão. Jo, Beth (Eliza Scanlen), Meg (Emma Watson) e Amy (Florence Pugh, em atuação extraordinária) têm personalidades distintas e enfrentam o amadurecimento de maneira diferente, mas passam pelos desafios unidas pelo amor que sentem umas pelas outras.

Originalmente, Louisa escreveu o romance com um único objetivo: ganhar dinheiro para, assim como sua protagonista, ser livre. E, para isso, ela se dobrou aos desejos editoriais e recheou a história com detalhes que respeitavam a moral e os bons costumes então vigentes. O livro se tornou um sucesso instantâneo e, mesmo a contragosto (e detestando a própria obra), a autora publicou ainda duas continuações. O que chega às telas agora é apenas uma das muitas adaptações já feitas, mas a roteirista e diretora Greta Gerwig limou as lições de moral e optou por romper a estrutura linear. As idas e vindas evidenciam tanto o processo de amadurecimento quanto as relações de causa e consequência entre ações do passado e do presente.

O roteiro é tão bem construído que o espectador pode, em uma cena, concordar com determinado personagem e, logo em seguida, tirar-lhe a razão. Sem mocinhos ou vilões, são todos demasiadamente humanos e coerentes em suas trajetórias, o que permite a identificação não apenas com as protagonistas, mas também com os coadjuvantes. Facilita, obviamente, o fato de o elenco ter em papéis secundários atrizes como as veteranas Laura Dern e Meryl Streep (a melhor atriz em atividade no cinema americano), além do jovem ator em ascensão Timothée Chalamet (‘Me chame pelo seu nome’), que confere alguma simpatia a um aristocrata fútil.

A reconstituição da época é impecável, a fotografia de Yorick Le Saux imprime em diferentes tonalidades as fases da protagonista e a elegante trilha sonora de Alexandre Desplat sublinha os estágios emocionais da história. Com essa embalagem de luxo, a obra de Gerwig transforma um livro puramente mercantilista criado há mais de 150 anos em um filme que evoca questões em debate na contemporaneidade, sobretudo o papel da mulher na sociedade. Em tempos de conservadorismo, em que a misoginia parece ganhar força, expor o quanto ainda falta para as mulheres conquistarem a mesma liberdade dos homens se mostra absolutamente necessário. E ‘Adoráveis mulheres’ aponta que elas trazem em si a força necessária para chegar lá.

Foto: Wilson Webb/Divulgação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s